31.1.11

Comercial indiano

(Dica de Beth Bomfim)

Para reflexão!
É um comercial indiano. Não vende produto, nem serviço.
Promove um conceito: Atitude diante de um obstáculo.
Atitude é tudo. Pode mover uma multidão e transformar o nosso Mundo.
Por onde começar?

video

Araribóia sem acessibilidade é capacho

Fundador e protetor de Niterói, o grande cacique Araribóia, que em tupi significa “cobra feroz”, com o exemplo de luta que deu ao derrotar os franceses invasores e seus aliados Tamoios, bem poderia inspirar o PPS - Partido Popular Socialista do Estado do Rio de Janeiro a lutar por acessibilidade no edifício em que tem sua sede estadual, à Av. Erasmo Braga, 255.

Afinal, tão indigno quanto deixar que a lembrança de Araribóia se resuma ao capacho da entrada do prédio, é um cadeirante como eu, ainda por cima filiado ao partido e indo para a reunião do Diretório Estadual, aceitar ser carregado para vencer um degrau infinitamente menor do que os penhascos que “cobra feroz” escalou para derrotar seus inimigos no século XVI.

Que o PPS se inspire no protetor de Niterói, como fez José de Alencar para escrever “O Guarani”, e lute bravamente pela acessibilidade na próxima reunião de condomínio do seu prédio.

30.1.11

MP denuncia Damasio Marino

Terra Notícias, 28/01/2011:

SP: MP denuncia delegado suspeito de agredir cadeirante

A promotoria de São José dos Campos (SP) denunciou na quinta-feira o delegado da Polícia Civil Damasio Marino por injúria, ameaça e lesão corporal dolosa. Os crimes teriam sido praticados contra o cadeirante Anatole Magalhães Macedo Morandini há 11 dias.

Segundo o Ministério Público (MP), no dia 17 de janeiro o delegado ocupou uma vaga destinada a portadores de necessidades especiais no estacionamento de um cartório. Anatole chamou sua atenção para o fato porque não conseguiu usar a vaga. O delegado foi afastado três dias depois.

O delegado teria ameaçado a vítima de morte, apontado uma arma para sua cabeça e desferido coronhadas no rosto do cadeirante. As agressões verbais e físicas só foram interrompidas por intervenção de uma testemunha, que gritou e avisou Marino de que havia anotado a placa do seu carro. O delegado deixou do local e o cadeirante foi socorrido por populares. Segundo o Jornal Hoje, ele negou ter sacado a pistola e disse que reagiu a uma cusparada.

***
Leia/Veja também:

Damasio Marino acusado de tentar matar ex-mulher

Polícia indicia Damasio Marino

Damasio Marino investigado por agressão e enriquecimento ilícito

Delegado de Polícia Damasio Marino bate em cadeirante

Curso Gratuito de Orientação e Mobilidade

Curso Gratuito de Orientação e Mobilidade

Abertas até o dia 09 de fevereiro, as inscrições para o curso de Extensão Universitária em Orientação e Mobilidade. Fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a Associação LARAMARA, a FATEC Zona Sul e a Fundação de Apoio à Tecnologia – FAT, o curso iniciará no dia 19 de fevereiro e com aulas aos sábados em período integral, capacitará 40 profissionais das áreas de humanas e biológicas para atendimento às necessidades de pessoas com deficiência visual parcial ou total.

As inscrições deverão ser feitas na sede da LARAMARA, na rua Conselheiro Brotero, 338 – Barra Funda, das 08:00 às 17:00 e os candidatos deverão comparecer munidos de cópia dos documentos: Diploma de Graduação ou Certificado de Conclusão de Curso Superior para graduados, atestado de matrícula para alunos regulares do último período, RG ou CNH, CPF, Curriculum Vitae e 01 (uma) foto 3×4 (recente).

Após a etapa de inscrições, haverá seleção composta de análise curricular e entrevista e preferencialmente serão inseridos profissionais das áreas da Educação e Saúde. Serão admitidos preferencialmente estudantes e graduados dos cursos de Educação Física, Pedagogia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Psicologia, Serviço Social e Enfermagem.

Informações adicionais:
(11) 3660-6400

Bezerra da Silva - Malandragem Dá Um Tempo

28.1.11

Primeiro cineasta cego do país

Blog da Audiodescrição, 27/01/2011:

Morador de Braslândia é o primeiro cineasta cego do país

“O tempo é tão grande dentro de mim”… Essa é a primeira explanação do único cineasta cego do país João Júlio Antunes, ao relatar sua história para o Jornal O Grito. Aos 44 anos, Antunes que nasceu em Brasília, realiza um de seus maiores sonhos ‘fazer um filme’, “quando eu era pequeno me lembro da primeira cena de televisão que vi, foi uma parte da novela Irmãos Coragem (1970), a partir daí eu já sabia o que queria fazer da vida”, relatou Antunes ao nos receber em sua casa na quadra 35 da Vila São José. Ele está morando em Brazlândia há um ano por conta de um tratamento de saúde.

Tudo começou em 1980, quando João conheceu o teatro, “aquilo me trazia muita alegria fiz peças como o Coelhinho Pitomba que ficou em cartaz no Teatro Nacional por um ano, o Dragão Encantado e A Bruxa Colorida, espetáculos que foram apresentados em várias cidades satélites”, relatou - daí até os anos 90 foram vários trabalhos realizados em prol da cultura. Em 1996, João Júlio que na época tinha 30 anos, perdeu a visão por conta de uma doença denominada retinose pigmentar, onde em uma das partes do olho, a retina, as células que recebem a luz morrem e aos poucos o portador perde a visão.

No entanto, a história de superação não termina aí, em 2004 João lançou-se candidato ao cargo de deputado distrital e após passar mal foi detectada outra doença que o levou à hemodiálise, procedimento médico que realiza até hoje, “tive muitas lutas e não deixei as coisas ruins me abaterem, a ideia do filme se concretizou após eu descobrir que precisaria fazer hemodiálise e uma grande amiga Dolores Tomé me apresentou ao Secretário de Cultura do DF Silvestre Gorgulho, assim começou a história de Uma vela para Deus e outra para Beto”, começou aí a saga para encontrar um roteirista e um diretor para realizar o curta-metragem.

João se empenhou em tirar seu Diploma de Proponente (documento emitido pela Secretaria de Cultura para pessoas que comprovem que trabalham com arte há mais de 3 anos), para que pudesse fazer um filme. Logo após, conheceu José Luis Mazzaro roteirista de seu curta - Uma vela para Deus e outra para Beto - onde a história conta sobre a vida de Beto, um banqueiro que, aconselhado por um padre sobre as verdades da vida, abre mão de toda sua fortuna para ser monge, o roteiro do filme conta ainda com a vertente da inclusão social, pois uma das atrizes é cadeirante. O filme ainda conta com o trabalho do produtor e diretor de fotografia Cláudio Luis de Oliveira.

Muitos perguntam como uma pessoa cega consegue dirigir um filme? João diz que com muita sensibilidade e com os quadros da sua memória visual em sua mente ainda vivos, dirige as cenas, “quero mostrar para as pessoas que não existem dificuldades que não possam ser superadas de alguma forma”, disse - fica ai uma grande lição.

A obra tem patrocínio da Petrobrás e apoio da Secretaria de Cultura pelo Fundo de Arte e Cultura (FAC), foi produzido pela Konim Cinema e Vídeo Comunicação e a idéia é que ele seja exibido, após o lançamento que está previsto para 2011 nas escolas públicas, universidades e simpósios. Os DVD’s terão audiodescrição, técnica que relata as cenas para os deficientes visuais e a capa será impressa em braile, libras. Um fato interessante é que no filme, nenhum personagem se comunica de costas para que os surdos possam fazer a leitura labial, ou seja, o enquadramento labial.

Serviço: João Júlio Antunes quer montar um espetáculo de teatro e pede para pessoas que tenham noção ou sejam atores, entrem em contato com ele pelo telefone (61) 9287-2369 ou pelo e-mail joaojulio.diretor@gmail.com.

Por Viviane Martins

Damasio Marino acusado de tentar matar ex-mulher

R7 Notícias, 27/01/2011:

Mulher denuncia outras agressões cometidas por delegado suspeito de bater em cadeirante
Olga Marino diz que ex-titular do 6º DP de São José dos Campos tentou matá-la

João Varella, do R7

Damásio Marino, o delegado suspeito de agredir um cadeirante em São José dos Campos, cidade a 97 km de São Paulo, já havia sido denunciado anteriormente à Corregedoria da Polícia Civil por uma tentativa de homicídio. Os documentos que comprovam a denúncia foram entregues ao R7 pela suposta vítima: a mulher dele, Olga Marino, que embora não viva mais com o ex-titular do 6º Distrito Policial de São José dos Campos, ainda é casada com ele “no papel”.

Durante uma longa entrevista, Olga contou que seu caso - registrado em 2009 - ainda está sem solução. Segundo ela, no final daquele ano, os dois estavam com o relacionamento de 17 anos bastante desgastado. Ela contou que sabia que, na época, seu marido mantinha um relacionamento extraconjugal com uma advogada (que continua com Damasio até hoje e está grávida dele).

Em setembro, ainda de acordo com Olga, os dois teriam brigado e Marino teria chegado a efetuar um disparo com sua pistola calibre .40 contra ela. A discussão teria começado após Marino chegar de um churrasco. Olga diz que seu marido só errou os disparos porque estava bêbado. Os dois estavam sozinhos na residência no momento da confusão.

- Fiquei trancada em um quarto, esperando a fúria dele passar.

Ela conta ter tido dificuldade para registrar o caso nas delegacias da cidade e para contratar um advogado porque “todos temiam Damásio”. Mesma assim, a mulher conseguiu registrar a denúncia, inclusive com relatos de testemunhas que disseram ter ouvido o disparo.

Olga afirma, entretanto, que esta não foi a primeira vez que Damásio a agrediu. Antes do disparo, ela conta que já tinha sido alvo de socos e pontapés de seu marido. A dificuldade em relatar os casos à Polícia Civil era constante, diz. Funcionária pública licenciada, Olga atribui ao álcool parte do comportamento agressivo que Marino apresentava quando os dois moravam juntos.

- Ele é inteligente, batalhador, veio de família humilde. É uma pessoa boa. Se eu disser outra coisa, vou estar mentindo. Agora, quando bebe… não sei o que acontece. Eu não bebo. Mas ele se transforma depois de tomar uma ‘pinguinha’.

De acordo com a mulher, enquanto moravam juntos, Damasio bebia diariamente. Outro elemento que ajudava o delegado a ficar agressivo, do ponto de vista de Olga, era sua arma. Ela diz que bastava uma simples discussão com um flanelinha para ele mostrar o revólver e fazer ameaças.

Acusações infundadas

Em contato com o R7 por telefone - na noite da quarta-feira (26) -, o advogado de Damasio Marino, Luiz Antônio Lourenço da Silva, classificou nossa ligação como “extremamente oportuna”. Ele disse ter saído, por volta das 18h30 da quarta, da sede da Corregedoria da Polícia com o pedido de arquivamento do processo movido pela mulher do delegado. Segundo Silva, “apuração preliminar sobre os fatos fizeram com que a Corregedoria pedisse o arquivamento em função das discrepâncias entre as lesões que ela diz ter sofrido do marido e o laudo do IML.” Além disso, segundo Silva, todas as testemunhas do caso – arroladas pela própria Olga – teriam desmentido o que foi afirmado pela mulher.

- As testemunhas simplesmente dizem não saber de nada […] Peguei hoje, mas o relatório [da Corregedoria] está datado do dia 21 [de janeiro]. Isso mostra que o crédito que estão dando a essa pessoa é o mesmo dado ao cadeirante [ em referência a Anatole Magalhães Macedo Morandini]. Vocês terão um surpresa logo. As acusações são extremamente infundadas.

Silva disse ainda que está trabalhando no processo de separação de Olga e Damasio Marino e que “está uma guerra, justamente porque ela quer todos os pouquíssimos bens do casal”:

- Eles já se separaram, de fato, há algum tempo. Ele já tem outra noiva, que está grávida e estava com ele no dia do evento com o cadeirante.

Questionada sobre o caso, a Secretaria da Segurança Pública informou apenas que “houve uma acusação de lesão corporal registrada junto à polícia, mas a vítima (Olga Marino) não entrou com processo na Justiça. A apuração da Corregedoria já foi concluída e aguarda a apreciação de delegado corregedor de São José dos Campos”.

“Não sou santa”

Olga, que tem 48 anos, também responde a processos criminais. A mulher conta que a atual companheira de seu marido fez uma denúncia contra ela por sequestro, mas afirma que seria incapaz de cometer tal crime. Olga já foi condenada a pagar R$ 300 a uma entidade beneficente por causa de ameaças feitas contra a então amante de seu marido, em 2009.

- Olha moço, não sou santa também. Tentei defender meu casamento com todas as minhas forças.

Em outro processo, Olga foi condenada a comparecer mensalmente no Fórum de São José dos Campos. Entre os documentos que a reportagem obteve, não aparecia a descrição do crime pelo qual Olga foi punida neste caso.

Durante o processo de separação, Olga diz Damasio, um dia, levou todos os bens que eles tinham para uma outra residência. Ela ainda assina o sobrenome Marino.

Segundo ela, o processo de separação - iniciado por Damasio - está parado porque ele não comparece às audiências porque teme a divisão de bens. Os dois foram casados sob o regime de comunhão parcial de bens, que prevê que tudo o que foi adquirido pelo casal depois do casamento deve ser compartilhado.

Depois do caso da suposta agressão ao advogado Anatole Magalhães Macedo Morandini - durante uma briga por uma vaga de estacionamento no último dia 17 de janeiro - Olga voltou a ser chamada para prestar depoimento na Corregedoria de São José dos Campos.

Após o depoimento, Olga disse que encontrou no pátio de sua casa uma carta escrita com letras recortadas de revistas e coladas em uma folha de caderno. No bilhete supostamente enviado a ela, há uma ameaça, caso ela volte a comparecer na Corregedoria.

***
Leia/Veja também:

Polícia indicia Damasio Marino

Damasio Marino investigado por agressão e enriquecimento ilícito

Delegado de Polícia Damasio Marino bate em cadeirante

27.1.11

Empregos para pessoas com deficiência

Assistente II (Análise de Crédito e Cobrança)

- Ensino Superior (completo ou cursando), sendo desejáveis cursos de Administração, Economia ou Contabilidade;
- Experiência em atendimento ao cliente (telefônico, pessoal, virtual);
- Experiência em análise de crédito (pessoas física e jurídica - SPC, Serasa), atualização de informações cadastrais, negociação de dívidas;
- Desejável conhecimento na ferramenta SAP;
- Pacote Office (principalmente Excel e internet);
- Importante saber trabalhar em equipe, ter equilíbrio emocional (trabalhará sob pressão), capacidade de organização e análise de processos, bom relacionamento interpessoal e ser proativo.

Analista de Suporte (TI) - Desenvolvedor Jr.

- Ensino Superior completo em Análise de Sistemas;
- Inglês intermediário;
- Pacote Office (nível avançado);
- Softwares: Java, JavaScript, Usabilidade, HTML, XML, SQL, Linux, Oracle, ASP e outros (conhecimento em, no mínimo, 3 softwares);
- Importante saber trabalhar em equipe, ter equilíbrio emocional (trabalhará sob pressão), capacidade de organização e análise de processos, bom relacionamento interpessoal e ser proativo.

***
Mais informações:
(21) 3553-8045 (Soluções Sustentáveis)

Polícia indicia Damasio Marino

R7 Notícias, 26/01/2011:

Polícia indicia delegado suspeito de agredir cadeirante no interior de São Paulo
Ele foi indiciado por lesão corporal, cuja pena pode ser o pagamento de cesta básica

João Varella, do R7

A SSP (Secretaria de Segurança Pública) de São Paulo informou, nesta quarta-feira (26), que o delegado suspeito de agredir um cadeirante em São José dos Campos, cidade a 94 km da capital paulista, foi indiciado pelos crimes de lesão corporal dolosa e ameaça.

A agressão ocorreu no último dia 17, quando o delegado Damasio Marino, então titular do 6º Distrito Policial de São José dos Campos, e o advogado Anatole Magalhães Macedo Morandini discutiram por causa de uma vaga de estacionamento para portadores de deficiência. O bate-boca teria terminado em pancadaria, e o delegado teria dado coronhadas com sua arma na cabeça, olho e boca do cadeirante. Três dias depois, o delegado foi afastado do cargo.

Em geral, os crimes pelos quais o delegado foi indiciado não terminam em prisão caso o acusado seja condenado. A jurisprudência brasileira é de trocar penas de crimes considerados menores – previstos na lei federal 9.099 – por penas alternativas como serviços comunitários ou pagamento de cestas básicas.

Morandini disse ao R7 que vai pedir à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) para ajudá-lo a mudar a tipificação do crime. Ele afirma ter sido vítima de preconceito do delegado, crime cuja pena é bem maior que a de lesão corporal.

A reportagem do R7 tentou entrar em contato com o advogado de Damasio Marino, mas até a publicação desta notícia não conseguiu retorno das ligações.

***
Leia/Veja também:

Damasio Marino investigado por agressão e enriquecimento ilícito

Delegado de Polícia Damasio Marino bate em cadeirante

24.1.11

Confusões e Pressa Política

Confusões e Pressa Política

No Rio de Janeiro vivemos uma situação política inusitada. O governador Sérgio Cabral Filho foi reeleito com 66% dos votos válidos no primeiro turno das eleições, com o apoio de mais de 10 partidos e conta na Assembléia Legislativa com cerca de 58 parlamentares dos 70 que compõem a Casa.

O resultado natural desse quadro político seria a composição da Mesa Diretora da ALERJ com a presidência destinada ao PMDB, que conta com 12 deputados e a Liderança do Governo deste partido ou de outro partido do bloco de poder.

Como em política às vezes dois mais dois não resultam em quatro, o Governador estimula notas nos jornais anunciando que pretende nomear o deputado André Correia do PPS Líder do Governo. E o deputado em questão afirma que há conversas nos bastidores que apontam nessa direção.

Estes acontecimentos estão gerando uma grande preocupação no interior do nosso partido. Acabamos de sair de um processo eleitoral como oposição. Em 2006, disputamos o governo com a então deputada federal Denise Frossard. Em 2010, novamente ficamos no campo da oposição com a candidatura ao governo de Fernando Gabeira. Nesses dois momentos afirmamos as nossas posições políticas da maneira distinta do atual governador Sérgio Cabral.

Na vida social e na atividade política não existem posições imutáveis. O PPS, por sua tradição, não faz oposição sistemática. No parlamento, seus representantes votam favoravelmente aos projetos que estejam de acordo com os interesses gerais do povo. Em política somos sempre abertos ao diálogo.

Na perspectiva das próximas eleições municipais iremos, sem dúvida, dialogar com todos os partidos políticos, incluindo naturalmente o PMBD, partido do governador Sérgio Cabral e do prefeito da Capital Eduardo Paes.

Porém, isto é inteiramente diferente de aderir ao governo, sem qualquer justificativa política em relação aos pontos que defendemos na recém encerrada campanha eleitoral.

E o pior é que estão sendo utilizados todos os tipos de métodos fisiológicos para cooptar membros do Diretório Estadual para a defesa desta tese. Além de convites para nomeação em gabinetes de parlamentares, temos notícia que estão sendo oferecidas diretamente a membros do PPS, sem qualquer discussão no partido, duas Secretarias na capital, a Secretaria da Cultura e a Secretaria de Acessibilidade, esta a ser criada.

A conjuntura política brasileira é pródiga em maus exemplos. A corrupção está generalizada, o fisiologismo se manifesta de várias maneiras, no executivo e no legislativo, indo desde o Senado Federal, passando pela Câmara de Deputados, Assembléias Legislativas e Câmaras de Vereadores.

Regionalmente, atravessamos uma fase dramática. De fato, as chuvas foram intensas, mas as desculpas das autoridades para a catástrofe são completamente absurdas. Em Areal, município próximo a Teresópolis, bastou um carro de som para salvar muitas vidas. Por enquanto os governantes ainda não botaram a culpa das chuvas em São Pedro.

A insânia pela tentativa de participar de fatias do poder chegou a tal ponto que durante a última reunião do Diretório Estadual do PPS, a mesa da reunião concordou com a proposta do Deputado André Correia que não discutíssemos a proposta que o companheiro Raulino Oliveira estava encaminhando no sentido de propormos um Projeto de Lei que regulasse e controlasse catástrofes no Estado, sob alegação de que este tema prejudicaria o debate em defesa da indicação do nome dele para líder do Governo na ALERJ.

Na mesma reunião, inclusive, já com queda de quorum dos presentes, não foi permitida pela mesa a votação de proposta que encaminhamos para divulgação de nota de esclarecimento à sociedade sobre o tema.

Qual a razão dessa opção do governador Cabral, já que dispõe de mais de 58 parlamentares da situação para ocupar tal cargo? Por que não um Deputado do PT, com quem mantém uma inexplicável relação de amor conforme suas próprias palavras?

Seria produto das contradições internas do PMDB que vem insistindo em apresentar dois candidatos à Presidência da Assembléia?

Seria um projeto de longo alcance, além das fronteiras do Estado do Rio de Janeiro?

Em 2004, o governo petista tentou implodir o PPS usando alguns deputados federais numa operação que também envolvia Ciro Gomes comandado por José Dirceu. Como aquela operação não deu certo, estariam tentando pelo Rio de Janeiro uma brecha para nova investida?

O interesse do governador Cabral é indicar o deputado André Corrêa líder do Governo. O Deputado vem afirmando sistematicamente que só teria sentido ser líder se o PPS aderisse em bloco e o PPS passaria a integrar a base de apoio do governo estadual. Eles não querem pouca coisa.

Diante essas considerações, entendemos que é prematura e politicamente injustificável qualquer aproximação formal do PPS tanto ao Governo Estadual como o da Capital sem que haja um grande entendimento prévio no plano da Política, que inclua também os partidos com quais marchamos nas últimas eleições, com compromissos de adoção de projetos de interesse da população do Rio de Janeiro, que incorporem a questão democrática e propiciem a inclusão dos nossos habitantes em direção à plena cidadania, como assim defende a ampla maioria dos membros de nosso Partido.

O Diretório Nacional e sua Executiva devem acompanhar de perto o desenvolvimento de todo este processo que vem se desenrolando no Rio de Janeiro. Os que assinam esta nota se colocam à disposição para todas as informações que têm acesso no intuito de evitar o que pode ser uma perversa manobra contra o Partido.

Assinam:

Gilvan Cavalcanti de Melo. Membro do Diretório Nacional e do Diretório Estadual do Rio de Janeiro.
Luiz Antônio Martins (Gato). Membro do Diretório Nacional e das Executivas Estadual e Municipal do Rio de Janeiro.
Raulino Oliveira. Membro do Diretório Nacional e da Executiva Estadual do Rio de Janeiro.
Roberto Percinoto. Membro do Diretório Nacional e da Executiva Estadual do Rio de Janeiro, além de Presidente do Diretório Municipal da Cidade do Rio de Janeiro.

23.1.11

Damasio Marino investigado por agressão e enriquecimento ilícito

Agora São Paulo, 22/01/2011:

Delegado é investigado por bater na ex-mulher

Agência Folha

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - O delegado Damasio Marino, que bateu em um cadeirante em São José dos Campos (91 km de SP) numa briga por vaga de estacionamento, é investigado desde 2009 pela Corregedoria da Polícia Civil por agredir a ex-mulher.

Ele também é investigado pelo órgão sob suspeita de enriquecimento ilícito. Anteontem, Marino foi afastado de suas funções pela Secretaria de Estado da Segurança Pública. De acordo com a delegada assistente da Corregedoria da cidade, Telma de Souza Barbosa, há relatos de “muitos casos de agressão” de Marino contra a ex.

Em um deles, disse a delegada, Marino chegou a atirar contra Olga de Fátima Priante Marino, 46 anos. O exame de corpo de delito comprovou que uma das balas ricocheteou e feriu o braço dela. “Pelo que a gente está apurando, ele tem sim um histórico violento”, disse.

Quanto à suspeita de enriquecimento ilícito, a delegada apontou que existem provas de que a evolução patrimonial de Marino não condiz com o salário que ele recebe.

Marino agrediu na segunda-feira o cadeirante Anatole Morandini. A confusão começou porque o cadeirante repreendeu o delegado por estacionar seu carro em uma vaga pública destinada a deficientes físicos. O policial não é deficiente. Morandini afirma que o delegado deu coronhadas em sua cabeça.

Resposta

O delegado, por meio de seu advogado, afirma que deu “dois tapas” em Morandini depois de ser xingado e de receber uma cusparada do cadeirante. O advogado dele, Luiz Antonio Lourenço da Silva, não quis comentar ontem as investigações da Corregedoria.

***
Veja/Leia também:

Delegado de Polícia Damasio Marino bate em cadeirante

22.1.11

Ministério da Cultura investe em Audiodescrição

Blog da Audiodescrição, 21/01/2011:

Ministério da Cultura investe na produção de livros acessíveis e na formação de audiodescritores

Rede Nacional do Livro Acessível

Estímulo à produção e distribuição de livros em formatos acessíveis a pessoas com deficiência visual.

O Ministério da Cultura, por meio das Secretarias de Políticas Culturais e Articulação Institucional, tem atuado em duas frentes na construção de políticas que contemplem o acesso ao livro e à leitura a pessoas com deficiência visual.

No âmbito internacional, o Governo Brasileiro, em conjunto com um bloco de países em desenvolvimento, promoveu nos últimos anos discussões no Comitê Permanente de Direitos Autorais da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) sobre a implantação de uma agenda voltada para a relação entre propriedade intelectual e desenvolvimento. Em 2007, esse Comitê aprovou a Agenda para o Desenvolvimento. Tal Agenda colocou na pauta da OMPI a discussão sobre o direito de acesso à cultura. Como seu desdobramento, o Brasil apresentou em 2008, junto com Chile, Nicarágua e Uruguai, uma proposta de trabalho ao Comitê Permanente de Direitos Autorais e Conexos com foco em quatro campos prioritários: pessoas com deficiência, arquivos e bibliotecas, usos educacionais e promoção da inovação tecnológica. Isso provocou a apresentação de uma proposta da União Mundial de Cegos (WBU) de tratado de limitações aos direitos autorais para pessoas com dificuldade para a leitura, recepcionada pelo Brasil, Equador e Paraguai.

No âmbito nacional, a Diretoria do Livro, Leitura e Literatura da Secretaria de Articulação Institucional (DLLL/SAI) tem exigido em todos os editais de aquisição de acervo do programa Mais Cultura que um percentual mínimo seja de livros acessíveis. E foi a partir da percepção de que a produção e distribuição de livros não didáticos em formato acessível a pessoas com deficiência visual não consegue atender a uma demanda que nasceu o programa Rede do Livro Acessível, numa parceria entre a DLLL/SAI, a DDI/SPC e a Organização Nacional de Cegos do Brasil (ONCB).

O programa visa estimular a instalação e o aperfeiçoamento de estruturas de produção, reprodução e distribuição de livros em formato acessível e desenvolver outras ações que potencializem esses atos, garantindo a constituição de uma rede descentralizada, com vistas a suprir as demandas e particularidades regionais.

No final de 2010 o programa selecionou por meio de edital público 10 projetos que serão executados durante o ano de 2011. Juntos, eles totalizam R$ 1,23 milhão que serão usados para fomentar a produção, difusão e distribuição de livros em formato acessível para pessoas com deficiência visual, ou seja, livros convertidos por meio de técnicas especializadas de adaptação, que proporcionem descrição ou narração das possíveis representações gráficas presentes na obra, nos formato Daisy, Braille, livro falado (voz humana ou sintetizada) ou outro formato que permita o acesso de todas as pessoas, prioritariamente aquelas com deficiência visual, ao seu conteúdo, excetuados os livros didáticos.

Com a execução destes projetos, o programa terá viabilizado a criação de 5 centros com capacidade para produção de livros em formato acessível nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste, que se somarão à expertise da Fundação Dorina Norwill, formando assim o embrião de uma rede capaz de produzir e distribuir livros segundo as demandas regionais. Além disso, estará assegurada a produção de no mínimo 159 novos títulos em formatos Braille, Daisy ou Voz Sintetizada e a distribuição gratuita de no mínimo 10.920 exemplares a pessoas com deficiência visual ou entidades que lhes atendam (associações, bibliotecas, entre outras) de todas as regiões do país, com ênfase nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Serão também capacitados profissionais para serem audiodescritores de peças de teatro, filmes, programas de TV, exposições em museus e outras atividades culturais, assim como para realizarem a adaptação e conversão de títulos para formato acessível e operação de programas e equipamentos para essa produção. Por fim, será criado um Portal na rede mundial de computadores que permita a integração de todas essas ações e amplie a capilaridade e abrangência de atuação dessas iniciativas no território nacional.

Fonte: Ministério da Cultura

EUA ordenam que Twitter entregue registros de fundador do WikiLeaks

Bulletin from the cause: Julian Assange - Primeiro preso político da era virtual

21/01/2011

Posted By: Leila Jinkings
To: Members in Julian Assange - Primeiro preso político da era virtual

EUA ordenam que Twitter entregue registros de fundador do WikiLeaks

Um tribunal dos Estados Unidos ordenou que o Twitter entregue informações detalhadas sobre os registros do WikiLeaks e de diversos simpatizantes do site, como parte de investigação criminal sobre o vazamento de documentos confidenciais.

A intimação datada de 14 de dezembro, solicitada pelo Departamento da Justiça dos EUA e publicada pela revista Salon.com, afirma que os registros pedidos ao microblog são parte “relevante de uma investigação criminal em curso”.

O documento ordena que o Twitter forneça informações sobre as contas do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, e de Bradley Manning, um analista de inteligência do Exército norte-americano acusado de vazar os documentos divulgados ao público no ano passado pelo WikiLeaks.

As informações exigidas pelo governo incluem todos os registros de conexão e horários de sessão, os endereços IP usados para acessar o Twitter, endereços de e-mail e residenciais, além de dados de cobrança e detalhes de contas bancárias e cartões de crédito.

“O WikiLeaks condena vigorosamente essa perseguição a indivíduos pelo governo dos EUA”, afirmou o site em comunicado encaminhado à Reuters por Mark Stephens, seu advogado em Londres.

O governo dos EUA está decidindo se deve apresentar acusações criminais contra Assange por ajudar a divulgar mensagens diplomáticas confidenciais norte-americanas, o que causou embaraços a Washington e a diversos de seus aliados.

O governo dos EUA está à procura de maneiras de incriminar o WikiLeaks e sua equipe depois do início do vazamento de uma série de mais de 250 mil documentos diplomáticos norte-americanos.

A deputada islandesa Birgitta Jonsdottir explicou em sua própria conta do Twitter que havia recebido um pedido formal.

“O governo americano quer ver todos os meus twitts e ainda mais, desde 1º de novembro de 2009. Será que eles têm consciência de que eu pertenço ao Parlamento islandês?”, escreveu Jonsdottir no serviço de microblogagem.

Em outra mensagem, a parlamentar declarou-se convencida de que o Google e o Facebook “receberam pedidos semelhantes”.

De acordo com o WikiLeaks, “a existência de uma investigação secreta levada a cabo por uma grande instância jurídica americana foi confirmada desta maneira pela primeira vez”.

21.1.11

WikiLeaks: Entreviste Julian Assange

Entreviste Julian Assange:
http://cartacapitalwikileaks.wordpress.com/

O fundador do WikiLeaks vai dar uma entrevista exclusiva para o público brasileiro.

A ideia é aumentar a comunicação direta com o Brasil, abrindo espaço para perguntas dos internautas.

Todo mundo pode participar. Basta enviar a sua pergunta como um comentário neste blog, incluindo nome completo e email para contato.

Eu e o pessoal do WikiLeaks vamos selecionar dez perguntas que serão respondidas por Julian.

Vamos selecionar em especial perguntas originais – já que o Julian deu muitas entrevistas ultimamente – e que tenham relevância para o público brasileiro e para o atual momento do WikiLeaks.

Claro, nem todo mundo será contemplado, mas a ideia que a entrevista seja o mais democrática possível.

As perguntas podem ser enviadas até as 18 horas da próxima sexta-feira, dia 21 de janeiro.

Já a entrevista vai ser publicada na próxima semana – somente na internet.

Contamos com a sua participação!

Natalia Viana

20.1.11

Delegado de Polícia Damasio Marino bate em cadeirante em briga por vaga

Audioteca Sal e Luz

A Audioteca Sal e Luz é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, que produz e empresta livros falados (audiolivros) e que corre o risco de acabar.

Mas o que seria isto? São livros que alcançam cegos e deficientes visuais (inclusive os com dificuldade de visão pela idade avançada), de forma totalmente gratuita.

Seu acervo conta com mais de 2.700 títulos que vão desde literatura em geral, passando por textos religiosos até textos e provas corrigidas voltadas para concursos públicos em geral. São emprestados sob a forma de fita K7, CD ou MP3.

E agora, você está se perguntando: o que eu tenho a ver com isso? É simples.

Ajude-nos divulgando.

Se você conhece algum cego ou deficiente visual, fale do nosso trabalho. DIVULGUE! Para ter acesso ao nosso acervo, basta se associar na nossa sede, que fica situada à Rua Primeiro de Março, 125- Centro. RJ. Não precisa ser morador do Rio de Janeiro.

A outra opção foi uma alternativa que se criou, face à dificuldade de locomoção dos deficientes na nossa cidade.

Eles podem solicitar o livro pelo telefone, escolhendo o título pelo site, e enviaremos gratuitamente pelos Correios. A nossa maior preocupação reside no fato que, apesar do governo estar ajudando imensamente, é preciso apresentar resultados. Precisamos atingir um número significativo de associados, que realmente contemplem o trabalho, senão ele irá se extinguir e os deficientes não poderão desfrutar da magia da leitura. Só quem tem o prazer na leitura, sabe dizer que é impossível imaginar o mundo sem os livros…

Ajudem-nos, divulguem!

Atenciosamente,

Christiane Blume - Audioteca Sal e Luz
Rua Primeiro de Março, 125/7º andar, Centro
Rio de Janeiro/RJ - CEP 20010-000
Tel.: (21) 2233-8007
Horário de atendimento: 8h às 16h
http://audioteca.org.br/noticias.htm

R$ 5 bilhões de multa por falta de acessibilidade

Informativo IBDD, edição nº 142, 14/01/2011:

Ministério Público e IBDD pedem a execução de multa de R$ 5 bilhões pelo não cumprimento de sentença para adaptação de prédios públicos no Rio de Janeiro

O Ministério Público Federal, o Ministério Público Estadual e o IBDD deram entrada na última quinta-feira, 13 de janeiro, junto à Justiça Federal, em petição pedindo a execução da multa de R$ 5,016 bilhões contra a União, o Estado e o Município pelo não cumprimento da sentença da juíza da 6ª Vara Federal, Regina Coeli Formisano, que determinou que todos os prédios públicos do Rio de Janeiro sejam acessíveis às pessoas com deficiência.

O valor da multa se refere a 26 prédios da União, 533 do Estado e 1.393 do Município que, segundo o relatório dos próprios administradores entregue à Justiça, não estão acessíveis às pessoas com deficiência. O cálculo do valor da multa foi feito com base na sentença da juíza Regina Coeli que determinou, em abril de 2009, que todos os prédios públicos do Rio de Janeiro fossem adaptados no prazo de 1 ano, sob pena de multa diária de R$ 10 mil por prédio não acessível.

Em maio de 2010, o IBDD pediu a execução da multa e a juíza Regina Coeli determinou que a União, o Estado e o Município apresentassem relatórios mostrando a situação dos prédios públicos em relação ao cumprimento da sentença. Com base neles, o Ministério Público solicitou aos técnicos do Crea que avaliassem a lista para saber o que de fato foi adaptado.

A sentença da Justiça Federal obrigando que os prédios públicos sejam adaptados atende a uma Ação Civil Pública impetrada pelo IBDD em junho de 2007. Na ACP, o Instituto solicitou o cumprimento do decreto federal 5.296, de 2004, que estabeleceu que os prédios públicos em todo o Brasil deveriam ter acessibilidade a partir de 3 de junho de 2007. “O direito de ir e vir é básico para toda democracia. O que queremos é que a Justiça garanta esse direito às pessoas com deficiência”, afirma a superintendente do IBDD, Teresa Costa d’Amaral.

19.1.11

Crianças na região atingida pelas chuvas

Prezados Amigos da Adoção,

Não ocorreu qualquer disponibilização para adoção das crianças que ainda não encontraram seus familiares pós-catástrofe que atingiu a região serrana.

Sabemos que o boato circulou na internet e também na mídia. Recebemos dezenas de consultas sobre o assunto.

Tentaremos contatos com as equipes técnicas das varas dos municípios envolvidos para que possam esclarecer e findar com as boatarias.

As crianças precisam de roupas, comida (leite em pó, biscoitos, sal, açúcar, água potável, neston, mucilon, achocolatados), brinquedos, meias, sapatos, calcinhas, cuecas, fraldas. Precisam, também, de nosso amor e de nosso cuidado sem o objetivo específico de adoção.

Por favor, vamos ajudar e não difundir boatos.

Abraços,

Silvana do Monte Moreira
Coordenadora do Grupo de Apoio à Adoção Ana Gonzaga II
Membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ

ABBR coleta doações para Região Serrana

ABBR monta posto de coleta de doações para as vítimas das enchentes da Região Serrana

Local de grande circulação, recebendo pacientes e acompanhantes todos os dias, a Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR) montou posto de coleta de doações na administração da entidade, para os interessados em ajudar desabrigados e desalojados das cidades serranas do Estado.

A instituição está recolhendo vários itens, dentre os quais materiais de higiene e uso pessoal: escovas e pastas de dente, fraldas infantil e adulto, cotonetes e papel higiênico. Também serão recolhidas doações de cobertores, colchões, toalhas de banho, velas, fósforo, botas, copos, pratos e talheres descartáveis, e água mineral, e de materiais de limpeza  baldes, bacias plásticas, rodos, vassouras, cloro, água sanitária, sabão de pó e em barra.

Além dos itens coletados, a ABBR enviará cadeiras de rodas, cadeiras higiênicas, andadores e muletas para a região. A entidade fica na Rua Jardim Botânico, 660, Jardim Botânico e receberá as doações de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h. Para mais informações basta entrar em contato pelos telefones (21) 3528-6355, 3528-6356 e 3528-6357, ou pelo email: administracao@abbr.org.br.

A despedida de Izabel Maior da CORDE

Inclusive, 18/01/2011:

A despedida de Izabel Maior da CORDE

Queridas e queridos amigos, amigas e colegas da SDH e da SNPD/CORDE,

É muito difícil resumir as sensações e emoções vividas nos 8 anos e 3 meses em que tive o privilégio e a honra de compartilhar com vocês o sonho e a realização de trabalhos pelos Direitos Humanos.

Fui pioneira como pessoa com deficiência nos dois cargos e aconteceu o “Nada sobre nós sem nós”. Cada dia de conquista valeu por mil e cada dia de eventual derrota virou aprendizado.

Foram momentos marcantes para a inclusão e a expansão de iguais oportunidades para as pessoas com deficiência de nosso Brasil. Pude coordenar e conduzir. Deixo a cargo de cada um o dever de avançar e levo comigo a esperança de ver a luta pelos Direitos Humanos de todos alcançar o pleno resultado: a valorização e o respeito às habilidades e competências de cada pessoa humana, em especial, aquelas com deficiência intelectual, auditiva, visual, física e múltipla.

Completo uma etapa da política pública voltada para esse segmento, com a certeza que contei com o estímulo, o apoio e a parceria de altos governantes, gestores setoriais, colegas, associações, organismos internacionais e companheiros de vários países que atuam nessa área. O Brasil está mais conhecido e reconhecido como um País que promove e garante os direitos das pessoas com deficiência. Ratificamos a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, ambos com equivalência de emenda constitucional.

Não desejo fazer um relatório das atividades porque tudo está registrado nas publicações da eterna CORDE e nos mais elaborados e inéditos projetos que pudemos produzir durante esse período de trabalho árduo, mas extremamente gratificante. O que se faz com paixão aquece a alma e nos fortalece. É assim que registrarei minha estada na SDH.

Peço a todas e todos, licença para mencionar o Decreto do Cão Guia e o Decreto da Acessibilidade. Mudanças podem ser percebidas nas legendas na televisão, nos sítios eletrônicos acessíveis, na presença dos intérpretes de Libras, na audiodescrição nascente, nos transportes coletivos acessíveis, na tecnologia assistiva, nas construções e na paisagem urbana. A União, Estados, Distrito Federal e Municípios, junto com a sociedade, os militantes e também o empresariado estão mudando a realidade e dando forma à cultura do desenho universal, que é um direito de todas e de cada pessoa.

Cidade Acessível é Direitos Humanos em breve estará na mídia. É um dos resultados da Agenda Social e de tantas outras ações desenvolvidas no passado. O filme e o livro História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil é um marco, o legado que nos inspira e com o qual homenageamos nossos pioneiros. A parceria com a OEI assegura esse projeto.

Mantenho a certeza de que acreditar é o melhor caminho e trabalhar é a garantia de ver as mudanças acontecerem, no compasso da vida e da capacidade de desenvolvimento da sociedade.

A demanda social sempre haverá de ser o combustível a dar energia para apressar as ações. Entidades e conselhos de direitos são necessários na caminhada conjunta. O CONADE foi uma escola, em todos os sentidos.

Aprendi muito na Casa dos Direitos Humanos. Os valores mais elevados guardarei para sempre na mente e no coração. Os deslizes, inclusive os meus próprios, servirão para reajustes e aprimoramentos, porque nada é em vão.

Com a graça de Deus, muito carinho recebi e compartilhei. Foi um presente de ouro haver conhecido pessoas éticas e verdadeiras que fazem o mundo mais colorido, brilhante e forte.

Aos que vieram até aqui, como equipe, acreditando nas mesmas propostas, quero agradecer profundamente, com um sorriso e uma lágrima de emoção.

Para aqueles que recebem a jóia – a nossa Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência – desejo resultados positivos, muita força e muita sorte nas lutas do dia a dia e que, ao final de suas jornadas, se sintam tão felizes como me sentirei por ter vivido essa magnífica experiência na CORDE.

Meu carinhoso abraço e grande agradecimento.

Izabel Maior

12 de janeiro de 2011

***
O livro História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil

O filme História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil

Teatro com atores cegos

Release:
Alunos da Uerj produzem documentário sobre grupo de teatro do Instituto Benjamin Constant

Atividades artísticas como instrumento para melhorar a vida de pessoas com algum tipo de deficiência: essa foi a ideia que motivou quatro alunos da Faculdade de Comunicação Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) a produzir o documentário ‘Arte na Deficiência: O pior cego é o que não quer ver’, sobre o Grupo de Teatro Gente (GTG), do Instituto Benjamin Constant. O grupo é formado por atores cegos e de baixa visão, já realizou mais de 20 peças e recebeu diversos prêmios.

“O projeto começou nas aulas do sétimo período, quando tivemos que produzir um documentário. Surgiu então ideia de abordar a importância de atividades artísticas para a melhoria da autoestima de pessoas com deficiência. Decidimos acompanhar o trabalho do Grupo de Teatro Gente, com atores do Benjamin Constant, e descobrimos histórias de vida fascinantes”, explica Carolina Pessôa, diretora do filme.

Participaram do documentário Manuel dos Anjos, ator e realizador do projeto ‘Comer e Beber sem Ver’, no qual as pessoas são convidadas a fazer degustação com os olhos vendados; Lúcia Telles, atriz, cantora e compositora; e Rose Queiroz, ex-atriz do GTG e artista plástica, criadora da técnica ‘Olhos nas Mãos’, na qual uma pessoa desenvolve uma máscara em argila, com os olhos vendados, sendo auxiliado por um deficiente visual.

O documentário foi apresentado na universidade e pode ser visto também no Youtube, no link:
http://www.youtube.com/watch?v=4tj87dHQ_B4
Mais informações sobre o projeto pelo e-mail:
carolinapessoa.jornal@gmail.com

Sinopse:
Arte na Deficiência: O pior cego é o que não quer ver
O documentário aborda o potencial de atividades artísticas como instrumentos para melhorar a vida de pessoas com algum tipo de deficiência. O foco do filme é Grupo de Teatro Gente, formado por atores cegos ou de baixa visão, do Instituto Benjamin Constant. A partir do contato com esse grupo surgiram três personagens fascinantes: Manuel dos Anjos, Lúcia Telles e Rose Queiroz, que deram verdadeiras lições de vida.

Ficha Técnica:
Direção, produção e entrevistas: Carolina Pessôa
Câmeras: Layse Ventura e Wedis Martins
Offs: Anatália Jacuru
Roteiro e edição: Anatália Jacuru, Carolina Pessôa, Layse Ventura e Wedis Martins

Onde assistir: http://www.youtube.com/watch?v=4tj87dHQ_B4

18.1.11

Fisioterapia no dedo mindinho

Proibido de usar muletas pelo médico, por causa de uma cirurgia no ombro, “estou” cadeirante. Hoje deveria ter sido meu primeiro dia de fisioterapia, na Clínica Ortopédica Gustavo Fialho, instalada na Av. N. S. de Copacabana, 605/409 e credenciada pela Mediservice, empresa de assistência médica hospitalar do Bradesco.

Encaminhado pela clínica para ser atendido pela Dra. Jussara, na sala 508 do mesmo endereço, quando cheguei diante do prédio me surpreendi com sua absoluta falta de acessibilidade, como mostra a foto acima.

Como o Poder Público não multa e não obriga o prédio a ser acessível? Como a Mediservice credencia uma clínica ortopédica instalada num lugar desses? Será que a clínica é especializada em fisioterapia no dedo mindinho?

17.1.11

Na Suécia

video

15.1.11

Ponha o prefeito na cadeia

Blog Este Mundo Possível, 14/01/2011:

Tragédia das chuvas: cobre indenização e ponha o prefeito na cadeia

ALTAMIR TOJAL

Peça indenização ao município, ao estado, à união. Processe já o seu prefeito, o governador, vereadores, deputados, todos os que permitem e estimulam ocupações irregulares nos rios e nas encostas em troca de votos. Ponha essa gente na cadeia. Se não fizer isso, fique esperando a próxima tragédia. Por que essas autoridades se omitem, sai eleição entra eleição? Por que preferem crescer as favelas em vez de fazer um programa habitacional decente? É para fomentar o clientelismo e garantir a fábrica de votos. Por que chove mais em outros lugares e o número de vítimas é muito menor? A OAB, o Ministério Público e a Defensoria Pública têm o dever de promover e apoiar essas ações. Leia mais: “Para especialistas, vítimas de chuvas no Rio podem processar Estado”.

ONU: falta de planejamento faz chuva matar mais no Brasil

O Globo Online, Blog Ecoverde, 15/01/2011:

ONU: falta de planejamento faz chuva matar mais no Brasil

AGOSTINHO VIEIRA

A falta de “comunicação” e de um plano de emergência fez com que as fortes chuvas na Região Serrana do Rio resultassem em uma tragédia maior do que a ocorrida no estado de Queensland, na Austrália, também submersa recentemente pelas águas. A opinião é de Margareta Wahlström, subsecretária-geral da ONU para a Redução de Riscos de Desastres.

- Por causa da ocorrência de ciclones, a Austrália já tinha começado a se preparar para o imprevisível. As autoridades sabem como evacuar as áreas, e a população escuta as orientações pelo rádio - explicou à BBC Brasil.

No país da Oceania, inundações em três quartos do estado de Queensland haviam provocado pelo menos 13 mortes até a última quarta-feira. Na serra fluminense, o saldo de mortos já passa de 500. Para Wahlström, o Brasil poderia ter evitado mortes se tivesse planos de emergência eficazes. Ela cita como exemplo iniciativas de outros países em desenvolvimento, como a Indonésia, que, “apesar de ser uma nação pobre, tem planos de evacuação diante de ameaças de terremoto e de erupção de vulcão, por exemplo”. “São iniciativas que salvam vidas”, diz ela.

Monitorar as áreas de risco e montar um sistema de alerta – com a designação de um líder para orientar a população e a criação de abrigos pré-definidos para receber moradores – são medidas consideradas básicas por Wahlström para evitar mortes como as ocorridas em Teresópolis, Petrópolis e Nova Friburgo.

- As pessoas precisam saber para onde ir e como ir, qual seria o caminho mais seguro. Uma solução comum são centros comunitários preparados para receber a população - afirmou à BBC Brasil.

Wahlström tem mais de 25 anos de experiência em gestão de catástrofes e coordenou, pelas Nações Unidas, a assistência às comunidades atingidas pelo tsunami de 2004 na Ásia. Em 2010, viu de perto no Rio de Janeiro as consequências da chuva no início do ano. No mês passado, esteve em Queensland, no local que está sendo assolado pelas enchentes.

- No Brasil, ainda há muito a ser feito em termos de planejamento urbano. Os governos têm que trabalhar com a população e realmente proibir construções em áreas de risco. Muitas regulamentações existem, o problema é que nem sempre são cumpridas - disse a subsecretária-geral da ONU para a Redução de Riscos de Desastres.

Segundo Wahlström, os desastres naturais nos últimos dez anos provocaram prejuízos de quase US$ 1 trilhão na economia global. São perdas que poderiam ser em grande parte evitadas. Um estudo citado pela representante da ONU aponta que, para cada US$ 1 investido em prevenção, é possível economizar pelo menos US$ 7 em resgates e reconstrução.

- Não é necessário sofrer assim. Há uma escolha (a ser feita), e a escolha é planejar. O número de desastres vai continuar crescendo, e todo investimento em planejamento é um bom investimento - opinou. (Fonte: G1)

14.1.11

Busca Remédios

Site inovador auxilia compra e venda de remédios mais baratos
Simples idéias que fazem muita diferença

Na era digital, em pleno século XXI com as transformações e inovações tecnológicas, ainda não existia no Brasil um mecanismo de busca, gratuito, para quem vende e para quem compra remédios, eficaz e capaz de apresentar uma ampla pesquisa com os melhores preços de cada medicamento. Pois a partir de janeiro de 2011 isso será possível, através de uma simples idéia que trará grandes benefícios a todos, o site http://www.buscaremedios.com.br/. Em uma busca rápida e simples, além de gratuita, o usuário encontrará os preços mais em conta para os medicamentos que necessite e as farmácias terão a excelente oportunidade de expor gratuitamente seus produtos.

(Saiba mais)

13.1.11

Falta de cidadania em dose dupla

Foto: Terezinha Santos
Como se não bastasse o fradinho no meio do caminho, em rima trágica, que impede a passagem de cadeirantes e mais do que os outros faz jus ao apelido de “capa-cegos” que tem no meio das pessoas com deficiência, ainda temos uma camionete estacionada sobre a calçada! O endereço desta dupla falta de cidadania é Rua Correa Dutra, próximo ao número 72, no Catete.

Ô prefeito! Cadê o choque de ordem urbana neles?

OAB recolhe donativos para vítimas das enchentes

A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL ESTÁ RECOLHENDO DONATIVOS PARA SEREM DISTRIBUIDOS ENTRE AS VÍTIMAS DAS ENCHENTES DO NOSSO ESTADO.

ROUPAS, COBERTORES, UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS, BRINQUEDOS, ALIMENTOS NÃO PERECÍVEIS, ENLATADOS, LEITE, ÁGUA, MATERIAL DE LIMPEZA E DE HIGIENE PESSOAL ETC. PODEM SER ENTREGUES NA AVENIDA MARECHAL CAMARA 210 – CENTRO (RJ)

MARGARIDA PRESSBURGER
CONSELHEIRA E PRESIDENTE DA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS – OAB/RJ

12.1.11

Não dá para levar a sério

O degrau na entrada ao lado do elevador é o primeiro obstáculo.

A escada que leva ao auditório, que dispensa comentários.

Ontem foi realizada uma reunião do Diretório Municipal do PPS/Rio, do qual sou secretário de Comunicação, no auditório da Câmara de Vereadores carioca. Eu sabia que o lugar não era acessível, mas tinha a informação de que a “Casa” havia comprado uma dessas geringonças que sobem escadas com cadeiras de rodas.

Não sei se a geringonça existe porque ela não apareceu. Em seu lugar me foram apresentados quatro funcionários, dispostos a me carregar e à cadeira escada acima, o que recusei, agradecendo a gentileza deles. Da parte desses funcionários, dá perfeitamente para aceitar gentilezas. Mas, da parte dos vereadores e da administração da “Casa” a única coisa aceitável é o cumprimento da lei.

Com tantos outros podres a sujar sua reputação, a falta de acessibilidade reforça a idéia de que não dá para levar a sério esta “Casa”, que bem poderia ser reconhecida como “Circo”.

7.1.11

Rede Sarah cadastra para atendimento gratuito

Site Em Dia Com A Cidadania, 07/01/2011:

Centro Internacional SARAH de Neurorreabilitação e Neurociências

O HOSPITAL SARAH RIO, especializado em neuroreabilitação, inaugurado no dia 01 de maio de 2009, na Barra da Tijuca, já está cadastrando para atendimento, novos pacientes adultos e crianças com as seguintes patologias:

•Paralisia cerebral
•Crianças com atraso do desenvolvimento
•Sequela de traumatismo craniano
•Sequela de AVC
•Sequelas de hipóxia cerebral
•Má-formação cerebral
•Sequela de traumatismo medular
•Doenças medulares não traumáticas como mielites e mielopatias
•Doenças neuromusculares como miopatias, neuropatias periféricas hereditárias e adquiridas, amiotrofia espinhal
•Doença de Parkinson e Parkinsonismo
•Ataxias
•Doença de Alzeihmer e demências em estágio inicial
•Esclerose múltipla
•Esclerose lateral amiotrófica em estágio inicial
•Mielomeningocele
•Espinha bífida
•Paralisia facial

O atendimento é totalmente gratuito.

O cadastro para atendimento de novos pacientes é feito exclusivamente pelos telefones: 21 3543-7600 e 21 3543-7601/2, das 08 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.

Rede Sarah
Endereço:
Embaixador Abelardo Bueno, nº 1.500
Barra da Tijuca
22775-040 - Rio de Janeiro - RJ

5.1.11

Empregos para pessoas com deficiência

35 vagas para pessoas com deficiência, com Ensino Fundamental completo, em empresa internacional da área de saúde, no Rio de Janeiro. Mais informações: (21) 3553-8045 (Soluções Sustentáveis).

3.1.11

Transmissão da posse de Dilma sem acessibilidade

Blog da Audiodescrição, 02/01/2011:

Faltou acessibilidade na transmissão da cerimônia de posse da presidente de todos os brasileiros

Nota do Blog: artigo de autoria de Vera, e postado no Blog Deficiente Ciente. Recomendamos aos nossos leitores que também sigam o Blog Deficiente Ciente, os artigos são excelentes.

***

Cerimônia de posse da presidente Dilma Rousseff e os serviços de Libras e Audiodescrição

Caro leitor,

Ontem recebi comentários muito interessantes do leitor Carlos Eduardo Silva. Veja o que ele diz:

“Nesse exato momento em todos os canais de TV está passando a cerimônia de posse da Presidenta Dilma Rousseff e do Vice-presidente da República Michel Temer. Não tem como não criticar essas mídias que só promovem a total exclusão. Até esse momento só a TV Câmara está utilizando o recurso de Libras. Depois a Globo fala de boca cheia de responsabilidade social. Achei também a NBR com Libras (TV por assinatura na NET canal 5). A TV Senado nada de libras, nem a TV justiça. Vamos ver se realmente 2011 vai ser o ano da inclusão, já começou errado. Esse é um fato histórico e precisa ser de conhecimento de todos. Tem muitas pessoas com deficiência que votaram na Dilma e não foram lembrados justamente na hora da festa. Revoltante.”

Segundo Carlos, mesmo fazendo seu discurso, que é marcado por protocolos e etiquetas, a presidente Dilma poderia, de alguma forma, fazer com que estes serviços (Libras e acrescento também a Audiodescrição, para pessoas com deficiência visual, estivessem disponíveis nas emissoras de TV Aberta. Concordo com Carlos, pois dessa maneira todos seriam contemplados, todos seriam incluídos e teriam acesso a este acontecimento histórico. O novo governo, através dessa ação, demonstraria a toda população brasileira que de fato a inclusão social é uma de suas prioridades. Não podemos esquecer que durante a campanha eleitoral havia intérprete de Libras. Isso fez com que eu me lembrasse do post “Hoje é um novo dia, de um novo tempo que não começou…” do site Bengala Legal.

Carlos continua:
Sarney para Dilma durante a solenidade da posse presidencial:
“… minhas senhoras e meus senhores.
A Nação inteira está emocionada e orgulhosa de nossas instituições, milhões de brasileiras e brasileiros estão com os olhos e os ouvidos nesta solenidade, que encerra o processo de constituição de um novo governo…”

Mas como ele quer que as pessoas com deficiência visual e auditiva participem de um fato histórico se grande parte das TVs abertas e nenhuma emissora têm libras, legendas e audiodescrição.. Cadê a inclusão na posse? Não vi nenhum deputado, vereador com deficiência na participação dessa posse. Está complicado esse começo de ano, com um fato histórico e os políticos eleitos com deficiência não terem acesso ao congresso…

De acordo com Carlos: “Temos direitos e deveres também. Ficamos só cobrando os nossos direitos e por muitas vezes esquecemos que primeiro temos que fazer os nossos deveres. Dia 1 de janeiro de 2011 é dia de festa e dia de pregar o amor, como está bem claro no post com fotos de casamento, porém, 2011 começou com um fato histórico, a primeira presidenta do Brasil tomando posse. Muitos com certeza não viram esse fato. Mas como queremos escrever a nossa história, temos que acompanhar os fatos… Vamos fazer desses momentos históricos relatos da nossa própria história.”

Essa foi a opinião de Carlos Eduardo Silva. Ele tem razão quando diz que devemos acompanhar tudo o que acontece em nossa cidade, estado e país. Quero agradecê-lo por permitir que seus comentários fossem republicados neste post e também pelas interessantes observações aqui contidas.

Caro leitor, precisamos acompanhar os noticiários com muita atenção e verificar se realmente o juramento constitucional feito pelos parlamentares, ministros, presidente e vice, durante a solenidade, estão sendo cumpridos. Assim como são cobrados os nossos deveres como cidadãos, devemos cobrar o cumprimento, a aliança, o pacto de honra firmado pelo governo conosco. Afinal milhões de brasileiros e brasileiras depositaram sua confiança neste novo governo.

A presidente Dilma Rousseff em seus discursos afirmou e reafirmou que daria toda a atenção aos mais necessitados, crianças, jovens, pessoas com deficiência… Disse que criará estruturas que permitirão que as pessoas com deficiência tenham uma vida digna. Ficamos na esperança de que isso efetivamente aconteça. A meu ver, a primeira providência que a presidente poderia tomar em relação às pessoas com deficiência, é providenciar para que a aposentadoria especial seja de fato regulamentada, uma vez que foi aprovada pela câmara dos deputados no dia 14/04/10, e até hoje está no senado federal para análise.

Quanto à mídia, quando efetivamente assumirão sua responsabilidade social? Quando assumirão a deficiência como de interesse público nacional?

2.1.11

O Índio Cauã e a Sustentabilidade

SORTEIO DE INGRESSOS PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES:

AS 4 (QUATRO) PRIMEIRAS DUPLAS DE 1 (UMA) CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA E 1 (UM) ACOMPANHANTE QUE ENVIAREM E-MAILS PARA andrei@ism.com.br GANHARÃO INGRESSOS PARA A APRESENTAÇÃO DO DIA 9 (NOVE), DOMINGO. É PRECISO COLOCAR A PALAVRA “INGRESSO” NA LINHA DO ASSUNTO E INFORMAR NOMES E IDADES (DA CRIANÇA E DO ACOMPANHANTE) NO CORPO DO E-MAIL.

***

O Índio Cauã e a Sustentabilidade / Release

LIDY MARX

Dia 08 de janeiro estréia o espetáculo musical infantil “O ÍNDIO CAUÃ E A SUSTENTABILIDADE” de Lucianna Martins no Teatro Fashion Mall.

Juntar o entretenimento e diversão proporcionada pelo teatro e ainda aprender como ajudar a proteger o nosso planeta, essa é a proposta do espetáculo “O Índio Cauã e a Sustentabilidade”.

No momento em que vivemos com tantos problemas relacionados ao meio ambiente como queimadas, desmatamentos, efeito estufa, camada de ozônio, aquecimento global, problemas respiratórios… A palavra do momento para as empresas de todos os portes como uma “solução” é a Sustentabilidade!

É urgente! Não há mais tempo. Precisa haver um freio, precisa haver um tipo de “educação” do homem com a Natureza, senão não terá mais planeta saudável para as crianças de hoje no amanhã.

Esse espetáculo, que é o primeiro no Brasil com esse tema, tem essa preocupação. E escolheu “falar” com as crianças. Pois, as crianças de hoje serão os adultos de amanhã. Os conceitos têm que ser implantados desde cedo.

Trabalhar esse tema pode ser de certa forma, uma grande ousadia da parte da autora e diretora Lucianna Martins. Mas, antes de tudo, ela é mãe, e viu no teatro a forma mais fácil de educar, “plantar a semente da sustentabilidade”.

“O teatro não tem a obrigação de educar, mas o que eu tento praticar pela vida é o teatro da educação pela arte.”

O teatro é apaixonante, brinca com o lúdico, e um faz de contas onde o público não só assiste ao espetáculo mas, vive e se emociona junto com os personagens.

“O Índio Cauã e a Sustentabilidade” é um musical infantil para crianças e adultos.

A proposta de encenação envolve um cenário múltiplo, assinado pelo cenógrafo Sérgio Marimba. São quatro cenários físicos e dois virtuais. Os físicos são: a Mata Atlântica (representando a Região Nordeste), a Amazônia (representando a Região Norte), o Pantanal (Região Centro-Oeste) e a Mata das Araucárias (Sul). Há também uma cortina onde é projetado dois cenários: o mar (Nordeste) e o Rio de Janeiro (Sudeste).

A iluminação do premiado iluminador Aurélio de Simoni dará vida ao cenário, figurino e aos atores. Há um jogo cênico de iluminação onde se explora a sombra chinesa.

A trilha sonora de Jane Duboc, que tem grande experiência com o Universo Infantil, irá alegrar a aventura do Índio Cauã e da Índia Açucena.

As músicas ganharão formas através das coreografias de Sueli Guerra.

O texto e direção é da Lucianna Martins com experiência de mais dez anos em Teatro Infantil que organizará uma linda encenação para essa história.

Sinopse:

Numa floresta em plena Mata Atlântica vivia uma tribo de índios chamada TUTUTU. Lá existia um indiozinho chamado Cauã de. Uma criança adorável, educada, obediente, prestativa que adorava correr… Cauã vivia correndo pela mata, saltando obstáculos, dando cambalhotas, pulando rios com cipós e corria, corria, corria, era incansável.

Quando parava, era para admirar alguma coisa na natureza, uma flor, um pássaro diferente, um momento único do desenho nas nuvens… Cauã era um menino feliz. Certa noite, ele não conseguia dormir, então saiu para correr, correu, correu, correu. Deitou-se na beira de um lago, para contar as estrelas, quando apareceram os 4 elementos: a Água, a Terra, o Ar e o Fogo. Eles começaram a dançar e cantar para ele, e o intimaram numa missão: viajar pelo Brasil e avisar aos homens que o mundo irá acabar se não preservar a natureza.

Cauã ia levar a idéias de sustentabilidade para as regiões do Brasil, assim, com a ajuda de todas as crianças, futuros governantes do planeta, poderiam salvar o mundo.

Quando acordou foi procurar a índia Açucena, sua melhor amiga, para contar o que tinha acontecido. Para sua surpresa, ela havia vivido a mesma coisa.

No dia seguinte, com a ajuda de seus animais de estimação, uma Arara e um Tucano, os dois foram vivendo em cada região uma grande aventura, enfrentado perigos e alegrias na defesa pela sustentabilidade do Planeta Terra (Em cada problema encontrado uma alternativa ecologicamente correta será encontrada com muita música e alegria, permitindo assim que as pessoas daquela região garantam sua sobrevivência)…

Ficha Técnica:

Cauã: Fabiano Leandro
Açucena: Camila Caputti

Elenco: Milton Filho, Luciana Lucena, Leonam Moraes, André Rayol Jorge, Daíra Saboia, Kiko do Valle

Texto, Direção de Produção e Direção Geral: Lucianna Martins
Direção Musical, Letras e Músicas: Jane Duboc
Direção de Coreografia: Sueli Guerra
Iluminação: Aurélio de Simoni
Cenário: Sérgio Marimba
Figurino: Fernando Cardoso
Programação Visual: Ismael Lito
Consultor Ambiental: Roberto Vámos
Produção Executiva: Luciene Lima e Robert Litig
Pesquisa: Luciene Lima e André Batsow
Projeto de Sonorização: Branco Ferreira

Realização: Lucianna Martins Produções.

Serviço:

Espetáculo Musical Infantil: O Índio Cauã e a Sustentabilidade
Teatro Fashion Mall – Est. da Gávea, 899 – São Conrado / tel.: 2422-9800
Dias e horários: sábados e domingo às 17hs
Temporada: estréia dia 08 de janeiro até 28 de fevereiro
Valor: R$ 40
Capacidade: 475 lugares
Classificação: livre

http://www.cauaeasustentabilidade.com.br/

Sigam o Índio Cauã no Facebook:
Índio Cauã e a Sustentabilidade.